Nota CEMEC 11/2022

Nota CEMEC 11 - Mercado de capitais e inovações regulatórias do BACEN definem o novo padrão de financiamento das empresas brasileiras
R$ 60,00

Nos últimos anos o forte aumento de participação do mercado de capitais na mobilização e alocação da poupança financeira e a implementação de várias inovações regulatórias lideradas pelo BCB estão entre os sinais mais evidentes de importantes mudanças do sistema financeiro brasileiro. O objetivo desta Nota é realizar uma avaliação preliminar do impacto dessas mudanças sobre a funcionalidade do sistema financeiro nacional e especialmente de seus efeitos potenciais sobre o crescimento econômico, como resultado do aumento da eficiência econômica da alocação de recursos, a redução do custo de capital, o financiamento das empresas e de seus investimentos e o acesso de pequenas e médias empresas a esses recursos.

Como foi evidenciado em excelente resenha e avaliação das pesquisas teóricas e empíricas realizadas, Ross Levine (2021)¹ mostra que e a evidência preponderante é que desenvolvimento financeiro acelera o crescimento econômico, por aumentar a eficiência econômica da alocação de recursos, apoiar a mudança tecnológica e reduzir as disparidades de renda, oferendo o acesso a recursos para segmentos de menor renda. 

Os números mostram que o forte crescimento do mercado de capitais e a implementação de inovações regulatórias pelo Banco Central tem melhorado a funcionalidade do sistema financeiro brasileiro na mobilização e alocação da poupança financeira.

Em setembro de 2022, cerca de 80% dos recursos de dívida têm sua alocação feita pelo mercado, em operações de crédito livre e de dívida corporativa, contra 61% em 2016, certamente direcionando esses recursos para as empresas que oferecem melhores perspectivas de crescimento, viabilidade financeira e rentabilidade. Além de responder por 62% dos recursos da captação líquida de todas as empresas não financeiras no ano terminado em setembro de 2022, os recursos captados no mercado de capitais respondem por 75% da oferta de recursos de médio e longo prazo para o financiamento de investimentos. Destaca-se ainda a atuação dos FIPs no apoio e desenvolvimento de empresas e start ups de caráter tecnológico.

As limitações do mercado de capitais em oferecer recursos de médio e longo prazo para empresas de menor porte reforçam a importância da atuação do BNDES nesse segmento de empresas, atuação essa agora alinhada com as prioridades do banco oficial.

A análise das inovações regulatórias implementadas pelo Banco Central mostra um conjunto de medidas focadas em alguns dos principais fatores que tem elevado o custo de crédito e dificultado o acesso de pequenas e médias empresas ao financiamento bancário. Redução da assimetria de informações, melhor execução de garantias, incentivo à digitalização das operações e aumento da concorrência no mercado de crédito caracterizam as principais mudanças. Vários indicadores do mercado de crédito sugerem a geração de resultados favoráveis, com a redução da concentração no mercado de crédito, beneficiando especialmente as empresas de menor porte, que tem menos acesso ao mercado de dívida corporativa e a recursos externos. Chama a atenção que o volume de crédito concedido a MPME tem crescido mais e tem valor maior que o contratado com as empresas grandes, ao mesmo tempo em que se observa considerável redução das diferenças de taxas de juros cobradas desses dois segmentos de empresas.

Especificações dos produtos
Nome do atributoValor do atributo
Forma de PagamentoParcelado 12x